Virei a esquerda…

Hoje eu fui por um caminho diferente. Já estava cansado de passar pelos mesmos lugares e ver as coisas imutáveis. Engraçado é que pra ir por esse caminho não preciso andar, cansar, suar, correr ou usar algum meio de locomoção.
A primeira coisa que avistei foi uma ladeira imensa e reta, parecia que não acabaria nunca. Mas sem medo, me lancei com tudo e fui sem receio de ser feliz. A sensação era incrível. Foi ali que comecei a perceber que nessa estrada tudo era muito familiar, apesar de muito diferente. Familiar por que o que eu via ali no acostamento ou nas montanhas, não eram árvores, asfalto ou placa. Eram pessoas. Algumas representadas por fotos, outras eram estátuas e ainda outras reais, que chamavam meu nome enquanto eu descia por aquela ladeira que realmente não tinha fim.
Encontrei pessoas antigas que não via há anos, pessoas atuais, pessoas que foram passageiras em minha vida… Descobrir que cada uma delas teve um papel fundamental em minha vida. Até aquelas que só me falaram um oi em algum momento, passou pela minha vida.
Um susto aconteceu enquanto olhava para essas pessoas. Percebi que não estava descendo ladeira nenhuma. Estava parado e as pessoas eram que passavam por mim. Fui percebendo a importância de cada uma e tive momentos singulares por aquela estrada que algumas palavras não expressariam, talvez um livro, uma trilogia ou algo além eu diria.
Convido você a fazer essa viagem também. Basta uma coisa, fechar os olhos e começar a lembrar de cada fase de sua vida. Você vai perceber que em cada momento existiu/existe alguém do seu lado. E sou grato a todo mundo que passou pela minha vida e que passa. Obrigado por você!

~ por Artur Leite em julho 13, 2010.

3 Respostas to “Virei a esquerda…”

  1. “Descendo a rua da ladeira. Só quem viu que pode contar…”

    Pena que nunca passei por vc nessa ladeira, mas temos alguns morros para contar!

    Abração primow! I love u boy

  2. Boneco Palito te agradeço, pois eu havia esquecido de alguns que passaram pela minha ladeira, nossa como eu crescir com eles, foi uma multidão, senti medo!!!

  3. Primeiro, que falo por mim. Agora, depois de ler senti mais carinho, sabe? E é tão bom saber que existe alguém que enxerga a gente assim. E faz marco em nós.
    E segundo, é que quero sempre existir e permanecer para você, Tuco.
    Obrigada você, por tá aqui, em mim.

    Um beijo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: